fev 21

Finalmente os LPs chegaram!!!

Demorou de chegar, demoramos de postar!

Aqui estão nossos LPs!!!

01 02 03 04 05 6

Share This:

jan 12

Test pressing com capa

 

vinil

Share This:

nov 06

CDs em mãos!

 

 

 

 

CD Euthanasia

Chegou nossa prensagem em CD!

Share This:

out 08

Testes de impressão e prensagem apovados!

Fizemos os testes de impressão da capa do CD e o test pressing do vinil chegou.

20150924_234609 20150831_161051

 

Share This:

ago 06

Revelada a capa do álbum Euthanasia

Conforme publicado no site MetalVox a arte da capa do nosso primeiro disco se tornou pública:

capa-logo

Em breve divulgaremos o set list do disco, aguarde.

Share This:

jul 01

Mercy Killing no Curitiba Underground

Como nossa campanha se estendeu um pouco mais segue o link da chamada:

http://www.curitibaunderground.com/26062015/mercy-killing-ultimo-dia-de-arrecadacao-da-campanha-de-lancamento-do-cd-euthanasia/

Share This:

maio 28

Natal Rock’n Roll – 1992

O ambiente em 1992 era aquele (já comentado anteriormente) : bandas de estilos diferentes, um amigo se aventurando com a banda nessa história de produção, cidade com a veia rocker em ebulição. E aí vem a ideia: fazer um show na noite de Natal.

Cabe aqui um parêntese: não estar em casa na véspera de Natal no Brasil já é algo complicado, culturalmente falando. Pense na Bahia, em que aspectos progressistas e retrógrados convivem harmoniosamente em cada cidadão e quebrar esse tipo de tradição é barril, véi.

natal-92

Obviamente ficamos ansiosos com o evento. E descobrimos que entre as bandas de Metal as tretas e picuinhas não eram NADA se comparando com as bandas de Rock and Roll. Sobem ao palco as 3 bandas escaladas para a noite e tivemos um evento inesquecível. A Dr. Cascadura (hoje apenas Cascadura, acho que Fábio fez alguma coisa com numerologia – brinks!) e já mostrou serviço, com direito a indumentária de capoeira, baiana, galinha VIVA, um revival de Hendrix em Monterey com um berimbau no lugar da guitarra e a banda pelada na última música – coisa normal para quem conhece o Sr. Joe.

Subimos ao palco e após nos acostumarmos com a máquina de fumaça fizemos uma trilha sonora perfeita para uma sucessão de stage-divings. Dibby me contou que foi o primeiro show de Heavy Metal dela (ou estou enganado) e utilizamos o som potente ao nosso favor. Após uma rápida liberação do palco o Úteros em Fúria entrou com todo gás, mesmo com alguns querendo se livrar da máquina de fumaça (que estava desligada – if you know what I mean), mostrando que uma nova cena se formava em Salvador. Uma das poucas jams entre estilos rolou no final do show (se não me engano rolou uma versão HC de Johnny B. Good). Achei uma guitarra de Luizão Pereira perdida por Peu (que NÃO tocou naquela noite) e vi os seguranças traçando a galinha de Fábio em um churrasquinho improvisado na saída da Kripton.

E até hoje tenho raiva do U2 cover que tocou no mesmo lugar dia 25, com 10 vezes o público da noite anterior…

Share This:

maio 28

Projeto Associação Rock – 1994

No longínquo ano de 1994 fomos convidados por um trio de produtoras para participar de um festival. O projeto pode parecer estranho hoje – juntar várias bandas de estilos diferentes – mas era algo comum na Salvador daquela época.

Associacao_rock-cartaz-2

 

E foi um grande sucesso. Tanto que, no mesmo ano, houve a segunda edição do evento. Algumas falhas comuns (no primeiro show alguns imbecis arrumaram brigas, por exemplo) mas é um exemplo típico de que aquele ano, em especial, foi muito agitado culturalmente. Entre os shows Rodrigo Macedo entrou na banda e fez a estréia dia 24 de Novembro. Se não me engano, seu aniversário.

Associacao_rock-cartaze-1

O mais interessante é que a mídia estava antenada com esse agito, muita coisa saindo em jornal e bastante espaço para as bandas se expressarem:

Associacao_rock-pg1 Associacao_rock-pg2

Com a formação do segundo show gravamos a demo Living in my Madness.

Share This:

maio 26

The Mist e Mercy Killing

Em um período não muito distante tínhamos uma espécie de “empresário” (Edson Rodrigues, proprietário de uma loja de discos, a Sound+Vision), que na verdade era um grande amigo da banda que acreditava que poderíamos nos profissionalizar. Ele conseguiu que abríssemos o show do The Mist no Clube Cruz Vermelha e escreveu um esboço de um review, obviamente puxando a brasa para a nossa sardinha.  Seguem algumas lembranças e a íntegra do texto.

resenha_the_mist

Clube Cruz Vemelha, Salvador, 06/08/1993.cartaz-the_mist_93

Noite de Sexta, o centro de Salvador era só ansiedade para uma noite de Thrash Metal e o encontro da banda local Mercy Killing e da mineira e quase veterana The Mist correspondeu plenamente às expectativas.

Abrindo a noite a Mercy Killing desfilou em set seguro e conhecido daqueles que acompanham esse quarteto a algum tempo, com números que estarão presentes em seu primeiro disco (tomara só o início de uma série), junto com precisos e oportunos covers, tendo o shows seus pontos altos em Born to Kill e na já clássica Got the Time, do Anthrax, que transportaram os mais energéticos diretamente do Clube Cruz Vermelha para os porões Underground de São Francisco, Londres ou Berlin. Destaques especiais para as performances do Drummer Hero Deco Moysés (cada vez melhor) e o versátil baixo de Léo Barzi, passando do Thrash ao Crossover com maestria, com direito a uma passagem de puro lirismo em Tales of the Grotesque and Araebesque. Em suma uma abertura digna para uma noite que apenas começava.
Jairo, Marcelo e Cristiano chegaram sem frescuras para encerrar a noite, mostrando porquê o The Mist já está no terceiro disco. Apesar do pouco tempo atuando como Power-Trio, os mineiros mostraram em set variado, com ênfase no material do The Hangman Tree, mas também com muitas músicas do novo disco. A se destacar o grande performer que é Jairo Guedz, deixando no ar uma grande pergunta: os irmãos Cavalera vacilaram ou não?

Share This:

maio 26

Palco do Rock 2014

Em Março de 2014 fizemos um show histórico em Salvador. Reencontramos velhos amigo, fizemos novas amizades e afirmamos o carinho o respeito mútuo entre nossos irmãos da Bahia.

Tati PDR 2014

Tivemos o apoio da turma da ACCRBA, como sempre, e além do trabalho duro foi aquela diversão com os reencontros depois do show.

10675518_850231384997678_3294903483693374435_nAlguns dados sobre essa parceria que completa 21 anos:

  • Participamos de toda a luta para a criação do Clube do Rock (hoje é a Associação Cultural Clube do Rock Da Bahia) ao longo do ano de 1993, fazendo até concurso público, após sindicalização e filiação na OMB-BA e, finalmente, tocando na Praia de Jaguaribe no dia 15/02/1993;
  • Tocamos, após passar pelo crivo da Prefeitura de Salvador novamente, na segunda edição do festival, em 25/02/1994;
  • Em 18/02/1996 tocamos novamente no festival, após uma tensão incrível (quase não houve show, mas no final das contas foi incrível, até fomos entrevistados pela MTV) e foi a última edição que recebemos cachê;

  • Em 1997 tocamos mesmo após a prefeitura cortar o cachê. A banda voltou ao PDR em 1999, com uma formação meio bagunçada;

Em 2014 fomos para Salvador depois de 12 anos da banda ter se mudado para Curitiba. Os integrantes mais novos não acreditaram com a recepção do público. Foi, de fato, muito forte e é claro que voltaremos em 2016.

 

Share This:

Posts mais antigos «